sexta-feira, 7 de março de 2008

Quando o homem não deseja - Dossier sexo IV

Saiba por que acontece e o que pode fazer para inverter a situação
Tal como a mulher, o homem também pode ser afectado por vários tipos de perturbações que afectam a resposta sexual.

Do desejo sexual (desejo sexual hipoactivo e aversão sexual) à excitação sexual (disfunção eréctil), passando pela dificuldade orgásmica (ejaculação prematura, ejaculação retardada, anejaculação, ejaculação retrógrada e ejaculação reflexa) e pela dor (dispareunia, dor genital associada à actividade sexual), são muitas as causas que condicionam o seu desempenho.

Como se manifesta?
Entre as disfunções sexuais masculinas, a mais frequente é a disfunção eréctil, definida pela Organização Mundial de Saúde como a "incapacidade de um homem obter e/ou manter uma erecção suficiente para obter um desempenho sexual satisfatório."

De acordo com a Sociedade Portuguesa de Andrologia, a disfunção eréctil (ou impotência sexual) afecta cerca de 500 mil homens em Portugal (e cerca de 150 milhões de homens em todo o mundo).

Quais as suas causas?
Pode ter origem em factores físicos - doenças vasculares, endócrinas (diabetes), neurológicas, muscular/esqueléticas, urológicas (próstata), ser um sintoma secundário a uso de alguns medicamentos ou resultar de factores psicológicos (depressão, ansiedade, stress, problemas relacionais e interpessoais...) mas, em muitos casos, pode ser de causa mista, ou seja, ambos os factores estão presentes.

Como se trata?
Felizmente, dependendo da causa, cerca de 95% dos casos são tratáveis. As opções de tratamento incluem medicamentos orais (inibidores da fosfodiesterase 5 - PDE5), aconselhamento e terapia sexual (com um psicólogo, psiquiatra ou sexólogo) e autoinjecção peniana (aplicada pelo doente antes da actividade sexual para aumentar o fluxo sanguíneo no pénis e permitir a erecção).

A lista inclui ainda terapia intra-uretral (inserção de um medicamento na uretra que aumenta o fluxo sanguíneo), dispositivo de vácuo (bomba de vácuo com utilização do anel de borracha, colocado na base do pénis, cuja pressão aumenta a quantidade de sangue na zona, facilitando a erecção) e, como último recurso, pode-se ainda tentar uma prótese peniana (dispositivo inserido no pénis através de cirurgia).

DOSSIER SEXO:
15 truques para (re)animar a sua vida sexual - dossier I
Como potenciar o orgasmo - dossier II
Quando a mulher perde o desejo - dossier III
Quando o homem não deseja - dossier IV
Volte a ter sexo com prazer - dossier V
Aprenda a superar as dificuldades sexuais femininas - dossier VI
Fantasias sexuais - dossier VII
Alimentos afrodisíacos - dossier VIII
Teste o seu desejo sexual - dossier IX
Teste a sua função eréctil -
dossier X
Como falar de sexo com o seu filho -dossier XI


Texto: Fernanda Soares
Revisão científica: Erika Morbeck (sexologista na Clínica Pelviclinic, em Lisboa)
A responsabilidade editorial e científica desta informação é da revista PREVENIR
Fonte:http://saude.sapo.pt/prevenir/artigos/geral//saude/ver.html?id=808779


Sem comentários: