quarta-feira, 24 de Dezembro de 2008

Valeriana

Encontre o caminho natural para o descanso com uma planta que cresce em solo europeu.
Na revista SLEEP de Julho de 2007, um estudo indicava que cada vez mais os norte-americanos que sofrem de insónias recorrem à medicina alternativa. Dos cerca de 30 mil indivíduos questionados, 5,9% confiou na planta valeriana para combater o problema. De facto, um número crescente de estudos científicos tem vindo a comprovar aquilo a medicina tradicional já sabe há séculos: a valeriana, nomeadamente a raiz da planta, possui uma acção sedativa e indutora do sono.

Como actua?
Os estudos clínicos mais recentes ainda não conseguiram identificar qual o mecanismo de acção da planta, mas supõe-se que os efeitos sedativos e relaxantes se devam a alguns compostos do óleo essencial, nomeadamente o valerenal e o ácido valerénico. Este ácido parece aumentar a concentração de um neurotransmissor (GABA) que diminui as actividades do sistema nervoso central. É isso que dá à valeriana efeitos analgésicos, anti-depressivos, ansiolíticos e anti-convulsivos.
Existem ensaios com vários tipos de raiz e extractos de raíz de valeriana. Na maioria dos resultados, o tempo necessário para adormecer e conciliar o sono diminui. Contudo, os efeitos não são imediatos: por norma, é necessário um período de toma de 2-4 semanas para se obter uma melhoria significativa. Aos benefícios naturais da valeriana acrescenta-se o facto de, ao contrário dos fármacos geralmente receitados para combater perturbações do sono e estados depressivos, a planta não causar dependência nem provocar excessiva sonolência matinal: é até recomendada para acompanhar o processo de desabituação destes medicamentos.

Recomendado para…
Insónias e problemas de sono. Períodos de grande tensão, ansiedade e irritabilidade também podem beneficiar com a toma de extractos de valeriana, de acordo com a European Scientific Cooperative On Phytotherapy (ESCOP). A valeriana não só devolve o sono como também aumenta a qualidade do mesmo e é um eficaz tónico do sistema nervoso. Com menos evidência científica surgem também relatos de benefícios da valeriana contra tremores, hiperactividade, dores musculares e articulares, estados de histeria, dores de cabeça, enxaquecas e dores menstruais.


Dosagens e contra-indicações
Poderá encontrar valeriana sob o formato de infusões, tinturas e extractos. Se a tomar como chá, recomendam-se 1,5 a 3 gramas de raiz para 150 ml de água a ferver, durante 10 minutos. Em forma de cápsula, existem doses de 300 a 1800 mg para toma oral. Existem ainda mais formatos, preparações e até fármacos à base de valeriana com diferentes dosagens. E ESCOP recomenda, para adultos, uma dose única de 2-3g de raiz de valeriana (infusão) ou o equivalente em extracto seco ou tintura.
Lembre-se que, dependendo da dose e da sensibilidade pessoal, a administração de valeriana pode interferir com a condução de veículos ou manipulação de máquinas. Não deve ser administrada a crianças com menos de três anos; entre os 3 e os 12 anos, a dosagem deverá ser aconselhada pelo médico de acordo com o peso corporal.
Para perturbações de sono, recomenda-se uma toma única, cerca de uma ou duas horas antes de ir dormir. Em casos de irritabilidade e tensão nervosa, a admnistração poderá ser feita em três tomas diárias.

Fonte: Sapo Saude

Sem comentários: